Trabalhando com Vendas Online: Parte 1

 Trabalhando com Vendas Online: Crie um Plano de Vendas





Um dos segredos da venda online é ter um plano de vendas bem estruturado.


O desempenho da sua equipe de vendas é fortemente influenciado por esse planejamento que determina as etapas essenciais para a criação de um atendimento personalizado.


Abaixo, detalhamos o que é e as três etapas para construir um plano de vendas. Verificar!


O que é um plano de vendas?

Um plano de vendas é um documento que determina as estratégias que uma empresa usa para adquirir novos clientes.


Independentemente do tamanho da sua equipe de vendas, a abordagem que os vendedores usarão no mercado deve ser consistente e seguida por todos.


Para criar um plano de vendas, você estuda o mercado, o perfil ideal do cliente, os canais de marketing, a abordagem de vendas, etc.


Com o tempo, uma empresa não só pode, mas deve revisar seu plano de vendas para que suas ações correspondam às metas atuais.


Um plano bem elaborado ajuda os representantes de vendas a se concentrarem nos interesses centrais da empresa e a construir a marca no mercado.


Você deseja aprender como desenvolver um plano de vendas coeso que realmente será usado por sua equipe. Siga estas três etapas:


Como desenvolver um plano de vendas online

O. Pesquise as principais características do público-alvo

As empresas que fornecem serviços online e presenciais precisam estar familiarizadas com as características de seu público-alvo para criar estratégias sobre como capturar clientes na Internet.


Seu público deve ser abordado pelos canais certos, usando linguagem de comunicação compatível e com propostas que resolvam sua dor.


Além disso, é importante entender como seu segmento comercializa, quais são suas necessidades para preparar sua equipe de vendas.


Invista em treinamento de vendas para que seu tipo de cliente compreenda o valor da oportunidade que está à sua frente.


Para dominar a arte da negociação, um vendedor deve saber argumentar com certeza e mostrar exemplos que sabe que afetarão o cliente, porque isso faz parte de sua realidade de mercado.


B. Crie um perfil de cliente ideal

O perfil de cliente ideal, também conhecido como buyer persona, é uma representação fictícia que ajuda você a entender o tipo de cliente que sua empresa deseja atrair, seu comportamento, seus interesses etc.


Esta definição é estratégica por três razões:


torna mais fácil identificar um cliente potencial durante a prospecção;

é facilmente compreendido por todos na empresa, o que ajuda a gerar leads espontâneos;

orienta as estratégias de vendas para que atendam a esse perfil.

É importante observar que uma empresa pode ter mais de um tipo de buyer persona.


vs. Determine funções dentro da equipe de vendas

A organização interna também faz parte da criação de um plano de vendas, porque sem uma equipe bem dividida, qualquer uma das funções pode ser negligenciada.


Os representantes responsáveis pelas vendas podem ser classificados em diversos grupos para que cada um seja responsável em administrar uma abordagem de venda. Desta forma as habilidades de cada um funcionam como deveriam.


Se uma empresa possui estratégias de vendas inbound e outbound, essas abordagens requerem habilidades profissionais diferentes.


Ao comecar, o trabalho se acumula em canais de vendas online que geram mais leads e maiores taxas de conversão de vendas mais para frente.


Na saída, os vendedores falam diretamente com o cliente desde o início e devem ter boas habilidades de argumentação.


Dessa forma, os gerentes de vendas precisam saber identificar os potenciais para cada função dentro da equipe e também quando investir em treinamento para alinhar um profissional a uma função.


Os três pontos acima ajudarão a reforçar os objetivos da empresa e quem são os clientes que ela busca.


Ter um plano de vendas estruturado é benéfico para as vendas online e offline. A empresa pode ter o mesmo plano básico e utilizar os canais de cada meio para reforçar seus objetivos.


Agora que você sabe por onde começar, vamos passar para a parte prática da venda online.


Vamos nos concentrar em conselhos gerais para atrair clientes e também para posicionar seu negócio online. Verificar!


11 dicas para vender online e ter sucesso

A Internet tem sido um canal de inovação desde o seu início. Do Google Adwords ao boom atual das redes sociais, tudo é monetizado para que as marcas ganhem visibilidade.


Diante de um mercado tão movimentado e movimentado, aprender a vender online é essencial para orientar estratégias e investimentos no mercado digital.


Também ajuda no planejamento de vendas para criar uma experiência de compra positiva para o cliente.

Como iniciar sua loja online: 11. Promova sua marca com estratégias de marketing.

 11. Promova sua marca com estratégias de marketing.



Finalmente, agora é a hora de divulgar sua loja online. As possibilidades são infinitas, no entanto, não se desespere e queira fazer tudo de uma vez - o mundo do marketing digital é enorme. Você pode começar com estratégias orgânicas (gratuitas) e depois investir em estratégias pagas (como mídia e anúncios do Google).


No que diz respeito aos gratuitos, os que tendem a ter mais efeito são: as redes sociais e o email marketing. Confira cada um abaixo.


1. Invista em redes sociais

As redes sociais já fazem parte do nosso dia a dia, seja para compartilhar conteúdo, trocar mensagens com amigos ou conhecer e seguir novas marcas. Assim, distribuir fotos e vídeos de seus produtos torna-se uma tarefa muito mais fácil por meio deles e, por sua vez, o alcance de sua marca, maior.


Entre as diferentes alternativas destacam-se o Instagram e o Facebook. De acordo com a NuvCommerce 2020, essas redes foram responsáveis ​​por 75% e 21% das vendas sociais no ano passado, respectivamente. Incrível, verdade?


Entre as suas funcionalidades destacamos o Instagram Shopping e a loja do Facebook: ambos permitem partilhar mercadorias, bem como os seus preços e redirecionar links para a sua loja online, o que agiliza (e enormemente!) O processo de pagamento para os seus clientes. consumidores.


2. Use marketing por e-mail

O email marketing, que muitas vezes é erroneamente considerado "desatualizado", ainda é uma ferramenta extremamente eficaz para promover uma marca. De acordo com um estudo da Rock Content, 78,4% do público do boletim informativo disse que gostou de recebê-lo e 76,8% disse que comprou por e-mail.


Nesse tipo de estratégia, no entanto, é importante ter cuidado para não se tornar indesejado e cair no lixo.


Extra: Aprenda a como a ler sua métricas no Google Analytics


Se, depois de passar por todas as etapas principais para abrir sua loja online, você estiver se perguntando como acompanhar as estatísticas de sua empresa, não se preocupe. Nossa dica adicional é o Google Analytics.


Graças a esta ferramenta é possível medir o tráfego do seu site e a eficácia das suas ações de marketing. Assim, conhecendo o comportamento dos usuários, será muito mais fácil criar estratégias para melhorar o alcance e aumentar as vendas.



Tudo de bom em configurar sua loja online?


Se mesmo depois de ler este guia e montar sua loja online não tiver certeza sobre os próximos passos ou como lidar com a nova vida de empresário, não se preocupe, esse resfriado comum é mais comum do que você imagina. 🙂



Esperamos que este conteúdo tenha ajudado você a realizar seu sonho de negócios e a criar um ambiente online responsivo e lucrativo. Muito sucesso e boas vendas!

Como iniciar sua loja online: 10. Oferecer suporte de qualidade

 10. Oferecer suporte de qualidade



Oferecer um serviço de qualidade, desde a pré-venda ao pós-venda, garante não só a satisfação do consumidor, mas também a fidelização do mesmo. Portanto, siga estas seis etapas básicas para chegar lá ao abrir sua loja online:


1. Defina seus canais

Atualmente, existem várias possibilidades para atender o público, desde o convencional (telefone e e-mail) até alternativas (redes sociais e WhatsApp), escolhendo as que mais fazem sentido para o seu negócio.


2. Seja humano

Personalize o contato o máximo possível, afinal seu cliente não quer falar com um robô. Chame-o pelo nome e pesquise seu histórico de serviços para mostrar que sua marca está atenta às suas dúvidas e desejos.


3. Cuide do tempo de resposta

A rapidez do atendimento está totalmente ligada às possibilidades de venda. Portanto, configure-o para canais diferentes e, se você responder apenas durante o horário comercial, deixe isso bem claro, certo?


4. Tenha perguntas frequentes completas

Citado no capítulo sobre customização do seu e-commerce, esta página ajudará seu público a encontrar respostas por conta própria, sem a necessidade de contatá-lo.


5. Peça feedback

Pergunte ao consumidor se o suporte tem sido satisfatório e se há algo para melhorar. Dessa forma, você pode aprimorá-lo cada vez mais, além de enfatizar que a opinião do público é importante.


6. tornar os contatos visíveis

Seu cliente precisa saber onde encontrar você. Em seguida, na parte inferior da sua casa, informe todos os canais disponíveis. E se possível, ative também o botão WhatsApp na sua loja online.

Como iniciar sua loja online: 9. Selecione os melhores métodos de envio

 9. Selecione os melhores métodos de envio




Acreditamos que a primeira palavra que vem à cabeça quando se pensa em frete é Correios. De acordo com o NuvCommerce 2020, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos foi responsável por 51% das entregas do e-commerce no ano passado, provando ser a preferida dos lojistas.


Porém:


1. Compreenda as opções disponíveis no mercado.

Os correios não são a única opção de entrega para sua loja online. Existem também transportadoras (como Loggi e JadLog) e formulários personalizados, como retirada na loja física (se houver).


Além das taxas, preste atenção aos requisitos de cada método de envio. Os correios, por exemplo, não aceitam entregas de mais de dois metros ou 30 kg. Portanto, se seus produtos são maiores em tamanho, vale a pena investir em colchetes personalizados.


2. Preste atenção à cobertura da operadora

Outro fator importante é entender qual é a cobertura das transportadoras, afinal, nem todas cobrem o território nacional, como os correios.


Dica de ouro: Best Shipment, que faz parte da equipe Cloud Apps, oferece orçamentos simultâneos com os Correios e mídia personalizada e informa qual opção é a mais adequada para cada entrega de sua empresa. Incrível, verdade?



Extra: como fazer logística reversa

O consumidor pode se arrepender, devolver o produto e solicitar reembolso? E quando uma peça de roupa ou um sapato não cabe ou não cabe no cliente, você tem que trocar? No vídeo a seguir, descubra como e quando investir a logística da sua loja online:

Como iniciar sua loja online: 8. Configure os métodos de pagamento

 8. Configure os métodos de pagamento




Ao abrir uma loja virtual, um dos principais passos é configurar os métodos de pagamento. Afinal, sem eles não será possível realizar as vendas tão esperadas, nem gerar receita.


Em breve:


1. Escolha um método de pagamento

Atualmente, existem duas modalidades principais para transações online: gateways e intermediários.


Os gateways funcionam como máquinas de cartões em uma loja física: vinculados aos credenciadores (como Rede e Cielo), eles se comunicam com os emissores (instituições financeiras como Bradesco, Santander, Itaú etc.) para verificar os dados dos clientes e suas contas. Por exigirem a gestão de diversos contratos, são geralmente utilizados por empresas de médio e grande porte.


Por outro lado, intermediários, como PagSeguro, Wirecard, Mercado Pago, etc. - Integrar todas as comunicações e processos necessários entre consumidores, compradores e lojistas em um único contrato, validando a segurança de todas as transações. Portanto, essas são as escolhas recorrentes das PME.


Independentemente do sistema de pagamento, lembre-se sempre de analisar cuidadosamente as taxas de cada transação (e se serão corrigidas), as políticas de saque (quando e como você terá acesso aos pagamentos) e se elas têm mecanismos de pré-pagamento. Fraude. Além disso, considere as opções de pagamento e como se registrar.


2. Escolha um tipo de pagamento

Dentre as alternativas de pagamento, destacam-se: transparente e lightbox. O primeiro, que gera mais confiança, dá ao cliente a oportunidade de finalizar a compra no ambiente da loja virtual. A segunda é uma janela pop-up que se abre automaticamente para que o usuário conclua o cadastro (disponível no PagSeguro, por exemplo).

Como iniciar sua loja online: 7. Personalize o seu e-commerce

 7. Personalize o seu e-commerce



Agora que você já escolheu onde estabelecer sua loja virtual, escolheu quem vai fornecer material, calculou os preços e cuidou dos anúncios dos produtos, está na hora de estiliza-la! Para isso, é importante pensar em uns pontos, como logomarca, Desgin e Estrutura das páginas do seu e-commerce. A seguir, vamos analisar alguns partes importantes.


1. Logomarca

A logomarca é um dos principais elementos da identidade de um comércio, é a face da empresa, sem ela não há uma reconhecimento visual da empresa. A existência da logomarca faz com que a sua persona saiba identificar o perfil da sua loja. Por isso, é muito importante defini-la como você você deseja apresentar sua marca. Ao criar o sua logomarca, pense nos seguintes pontos:


Duradouro: Para que demore até que ela se torne obsoleta;

Apropriado: Relacionável com os produtos que você vende e com seus clientes;

Simples e adaptável: com duas a três cores e facilmente identificável, sem muitos detalhes para não desfocar

.

Ainda falando das cores, pesquise o significado das que pretende usar, pois dependendo do seu produto existem cores mais apropriadas, como preto para produtos luxuosos, vermelho e amarelo para comidas, azul para limpezas e etc.


Para que você mesmo crie sua logomarca existem serviços como Tailor Brands e a Logaster, acesse e tente encontrar sua marca! Caso não consiga encontrar um descobrir que você goste, também é possível contratar profissionais para criarem a  identidade, cores, logotipo e outros elementos da marca.


2. Design

O Design são todas as partes que fazem sua marca, como visual e estrutura da sua loja vertual. Para ser apresentável ela deve ser organizada, focada no que realmente, fácil de navegar para que os clientes não desanimem e acessível. Sempre coloque preço e não seja dinâmico demais ao ponto de cansar o cliente também. Cumprir estes requisitos e ainda possuir sua identidade te coloca na frente de muitos concorrentes.


Uma boa idéia para cobrir sazonalidades é usar banners e coloca-los no topo das páginas, para serem fáceis de ver e a primeira coisas que o cliente veja ao acessar sua loja. Seja criativo e chamativo no Banner!


As categorias devem possuir títulos simples e diretos. Se seus produtos tiverem subdivisões, não esquece de adiciona-las também.


Pode não ser você que crie seu Website, mas preocupe-se em como ele se comporta nos celulares, tablets, computadorers, assim mais pessoas vão acessar sua loja, conseguir navegar e comprarem. Hoje em dia com os Smartphones muitos clientes acessam as lojas pelo Celular, acima de 50%!


3. Quem somos e FAQ


Outra parte importíssima é a apresentação, ali você pode escrever mais sobre quem você e encantar os clientes. Além disso, isso passa mais senso de confiança, se você não conhece a loja que compra, sua chance de compra diminui consideravelmente.


A FAQ é uma página criada para responder as perguntas mais comuns, assim não vai ser necessário responder cada cliente pessoalmente e ainda demorar nas compras, muitos clientes desistem da compra por falta de clareza na escrita ou de informações, por isso aqui é crucial ser claro e apresentar os principais pontos importantes, alguns delas podem ser o custo do frete, entrega, meios de pagamento, cancelamento de compra, tempo de envio e etc.

Como iniciar sua loja online: 6. Faça uma boa descrição dos produtos em sua Vitrine.

 6. Faça uma boa descrição dos produtos em sua Vitrine.



Muitos acreditam que as descrições dos produtos servem apenas para informar o visitante do site sobre a natureza dos produtos, o que ainda é verdade. No entanto, definições bem escritas fazem a diferença em muitos outros aspectos de uma loja online e na jornada do cliente.


Então:


1. Detalhe as características dos produtos

Como parte importante das descrições, você precisa deixar claro do que os produtos são feitos, suas origens e dimensões, os problemas que resolvem, como usá-los e por que esses itens se destacam da concorrência - em outras palavras, o que os torna tão especiais.


Graças a essas definições, será muito mais fácil:


Crie confiança (afinal, suas letras soarão profissionais);

Aumente o desejo de comprar (quem pode resistir a seus produtos com descrições tão abrangentes?);

Reduzir as chances de abandono da compra por certas dúvidas ou falta de comunicação;


2. Envolva-se em estratégias de SEO

Além disso, do ponto de vista de um motor de busca como o Google, as descrições dos produtos ajudam a classificar o seu site (a médio e longo prazo, podem fazer com que o seu e-commerce apareça nas primeiras páginas de busca). Para isso, devemos levar em consideração as estratégias de SEO, incluindo palavras-chave nos textos.


Para descobrir os melhores termos e usá-los nas definições e títulos de produtos, acesse ferramentas como Ahrefs, SEMrush, Ubersuggest, Planejador de palavras-chave e Search Console e pesquise palavras-chave relacionadas aos artigos e ao segmento de produto. Seu site online. fazer compras.


3. Crie descrições sensoriais

Lembre-se de usar também palavras-chave sensoriais ("doce", "aveludado", "doce", "cítrico" etc.). Por ser um e-commerce, o público-alvo não tem a capacidade de tocar nos produtos e perceber as texturas, tamanhos, cheiros e sabores (dependendo de seu nicho), portanto, esses termos vão ativar os sentidos de seus visitantes.


4. Publicar imagens de qualidade

Por fim, para completar as descrições, poste imagens de qualidade de diferentes ângulos de cada produto, ok? Assim, o consumidor se sentirá mais seguro ao fazer a compra em sua loja online.

Como iniciar sua loja online: 5. Analise corretamente a concorrência e o preço

 5. Analise corretamente a concorrência e o preço




A análise da concorrência é uma parte crítica de sua estratégia de negócios. Por meio dessa ação, é possível entender as experiências do público-alvo em outros e-commerce do seu segmento e identificar ameaças e oportunidades no mercado, evitando erros e economizando seu rico dinheiro.


É por isso que:


1. Realizar testes nas lojas virtuais da competição

Para pesquisar concorrentes, visite suas lojas online e mídias sociais. Faça testes de compra para ver como funciona o checkout e se está otimizado (em termos de cadastro, segurança e formas de pagamento, por exemplo). Assine a newsletter para saber como os produtos estão sendo comunicados e anunciados.


Envie uma mensagem para a equipe de suporte e observe o tempo de resposta e como eles atendem o consumidor. Descubra, em Claim Here, como essas marcas são classificadas e quais são os problemas encontrados. Nas redes sociais, veja as reclamações e elogios mais frequentes.


Descobrir a concorrência, na hora de montar uma loja virtual, vai exigir tempo e dedicação, mas certamente vai gerar informações incríveis sobre as melhores práticas, tendências e oportunidades inexploradas.


2. Examine custos e despesas

Quando se trata de preços, o primeiro passo é avaliar os custos operacionais (como compras de produtos e taxas mensais de plataforma de e-commerce), despesas (internet, água, eletricidade, etc.) e lucros (quanto você quer? Ganhe das vendas da sua loja online).


Em seguida, pense na posição que deseja assumir: vender por menos ou mais que a concorrência. No primeiro caso, você se tornará mais competitivo, mas terá que prestar atenção ao faturamento (para cobrir os tópicos discutidos acima).


Se você decidir vender por mais do que outras marcas (para incluir custos de frete e oferecer frete grátis, por exemplo), você deve investir em produtos de alta qualidade para garantir que um senso de valor seja criado; Considere também aqui o poder de compra do seu público-alvo (mencionado no segundo capítulo deste conteúdo).


3. Utilize a mudança de demanda a seu favor! 


Considere dois tipos de preços: sazonais, que se refere a feriados e promoções durante esses períodos; e o psicológico, que está relacionado a valores que normalmente terminam em 9 ou 90 (R $ 9,90; R $ 49,99 etc.), ideal para fazer os produtos parecerem mais baratos.


E não se esqueça da flexibilidade: continue seguindo o mercado, a concorrência e a lei da oferta e demanda, equilibrando e ajustando seus preços de acordo com as necessidades dos consumidores e de sua loja online.

Como iniciar sua loja online: 4. Preste atenção à escolha do provedor.

 4. Preste atenção à escolha do provedor.



Com a plataforma de e-commerce escolhida e o domínio registrado, é hora de decidir qual será o provedor ideal para sua loja virtual.


Seja pela matéria-prima ou pela compra do produto acabado, é fundamental escolher uma empresa alinhada aos seus princípios e manter um relacionamento saudável com o fornecedor, pois será a base para o bom funcionamento do seu e-commerce. .


Considerando isso:


1. Defina o modelo econômico

Primeiro, analise o modelo de negócios que você escolherá. Hoje em dia há dois  muito populares: O Padrão (em que você guarda seus produtos em seu estoque) e o Dropshipping (onde você faz a venda de um produto que você não possui em mãos, e pede para que o seu fornecedor entregue diretamente para o seu cliente, destaq forma, você nunca encalha!)


No primeiro caso, as vantagens são: menor tempo de remessa e conhecimento de seus produtos (quantos estão disponíveis, por exemplo); e as desvantagens: maior investimento econômico e necessidade de espaço físico.


No dropshipping, os pontos positivos são: a variedade de mercadorias e a mobilidade (poder trabalhar de qualquer lugar, já que não precisa ter estoque); e problemas negativos: barreiras alfandegárias (já que os fornecedores geralmente vêm do exterior) e diminuição das vendas.


É preciso também lembrar o respeito às obrigações tributárias, para não cair na ilegalidade.


2. faça uma comparação dos prós e contras

Com o conjunto de modelos, procure provedores na internet e / ou peça orientações, caso você conheça alguém de sua confiança no seu nicho. Entre em contato com eles e liste (em planilhas do Excel, por exemplo) os prós e os contras de cada um. Para fazer isso, considere:


Qualidade e produção: se possível, solicite amostras para verificar se os produtos estão bem feitos e atendem às necessidades do seu público-alvo;

Localização: descubra se os fornecedores estão próximos e quanto tempo leva para entregar;

Suporte e reputação: Descubra em sites, como o Claim Here, se as empresas têm boa reputação e oferecem suporte aos empreendedores;

Preço: faça um plano financeiro e avalie as ofertas que cabem no seu bolso; aqui a relação custo-benefício tem que falar mais alto.

Como iniciar sua loja online: 3. Website Próprio ou plataformas de E-commerce? Eis a questão!

3. Website Próprio ou plataformas de E-commerce? Eis a questão!



Já temos o seu nicho e para quem você deseja vender seus  produtos (persona), agora temos que chegar na parte prática e finalmente definir onde você ira vender seus artesanatos. De início teremos duas opções para escolher:


A primeira é investir na criação de um novo Site, sendo uma opção Flexível pois você poderá pedir no estilo que você desejar sem nenhum limite, claro, a principal coisa é que quanto mais complexo for, mais caro (em dinheiro e tempo) se torna, sendo uma opção cara para muito iniciantes.


Mas para o problema do custo inicial existe a segunda alternativa, que é usar uma plataforma de e-commerce, aqui não são lojas de graça, mas com um preço mais acessível por ser mensalidades e não se preocupe com a parte de gerenciamento e marketing que a maioria deste trabalho é feito pela plataforma, mas cada serviços tem seus prós e contras, teste para encontrar o melhor para você!



Extra: como registrar o seu domínio

Espere! Ainda temos outro tópico importante! Este aqui irá lhe ajudar a aparecer mais no Google e outros navegadoresm resultando em mais acessos e mais vendas.


Domínio é o registro de um nome, que serve para localizar com mais facilidade um site na internet – o do Google, por exemplo, é https://www.google.com.br/. Mas para que usar? é Por causa dele que não precisamos gravar os números de IP dos sites, e são os IPs que são os reais endereços dos Sites, as URLs são apenas "conversões" para facilitar nosso acesso.


A conversão de IP para Domínio é realizada pelo Sistema de Nomes de Domínios, ou na Sigla DNS (Domain Name System), é ele que identifica os dados do site que é inserido na barra de pesquisa dos navegadores, como este mesmo que você utilizou!


Existem dois tipos de domínio: os genéricos como ".com", ".gov", ".co" (estes servem para definir o objetivo do seu Website) e os territoriais, que são associados a países (.br, .ar etc) – no momento de registrar o seu, é importante lembrar destas duas opções e pesquisar se o nome que você quer utilizar já não foi comprado por um terceiro.


Ter um domínio não só simplifica as buscas na jornada de compra, mas também possibilita a criação de contas de e-mails associadas a uma marca, como contato@seusite.com.br – o que transmite mais profissionalismo e segurança ao cliente.


Um domínio bom possui nome simples e curto mas poderoso, ou algo que seja traduza seu objetivo e seja original


ATENÇÃO: Se preocupe em não utilizar certas letras ou acentos, como "á", "ã", "ç" e outros itens como hífens e números, eles não funcionam nos domínios e isso pode causar um prejuízo em seu negócio, tome cuidado!


Mundialmente, uma das empresas mais populares para compra de domínios é o godaddy.com

Como iniciar sua loja online: 2. Identifique o público-alvo da sua marca

2. Identifique o público-alvo da sua marca



Público-alvo é um grupo de pessoas (e potenciais clientes) que agrega características em comum – como geração, classe social e comportamento de compra – e serve como norte para as tomadas de decisão do seu negócio, especialmente nas questões de precificação e marketing. Conquistá-lo deve ser o seu foco – afinal, sem ele, não será possível vender.


Para determinar o público-alvo da sua loja virtual, é indispensável saber:


O que ele consome;

Com que frequência;

Quais são suas dores e necessidades (e se o seu produto as resolve);

Se pagariam por ele (como citado no capítulo anterior);

Quais são seus subgrupos existentes (o segmento de cosméticos, por exemplo, pode atender mais de um target: de jovens a mulheres maduras).

1. Crie personas

Considerando as subdivisões acima, busque identificar com mais afinco as personas e suas principais características, tais como:

Gêneros e idades;

Localidades (esse atributo te servirá também na definição dos meios de envio e valores de frete. Se seus targets forem predominantemente de uma ou duas cidades, por exemplo, você poderá criar descontos para tais regiões);

Interesses;

Ocupações e níveis socioeconômicos (que dizem respeito ao poder de compra e te guiarão na hora de precificar).

Para descobrir ainda mais detalhes do seu público-alvo, observe a concorrência: como ela se dirige a ele? E como ele interage?

Dessa maneira, você conseguirá delinear melhor o tom, as campanhas de publicidade e redes sociais mais eficazes para se comunicar e divulgar a sua loja virtual.

Como iniciar sua loja online: 1. Escolha o segmento certo para sua empresa

 1. Escolha o segmento certo para sua empresa


Observação: se você tem uma loja física ou já vende online por meio de mercados ou mídias sociais, pode pular para o Capítulo 2, certo?


Antes de pensar em como abrir uma loja virtual, o primeiro passo é analisar o mercado e definir seu segmento (eletroeletrônico, perfumaria, calçados, esporte e lazer, etc.). Atualmente, as possibilidades são inúmeras e, cada vez mais, novos setores estão surgindo no varejo brasileiro e mundial.


Então:


1. Descubra nichos atraentes para abrir sua loja online


Em 2020, os destaques foram:

Lojas de segunda mão e produtos biodegradáveis: artigos (moda, higiene, beleza, decoração, roupas usadas, etc.) reaproveitados e / ou fabricados em prol da sustentabilidade;

Alimentos alternativos: para consumidores intolerantes ao glúten ou à lactose, por exemplo;

Animais de estimação: Esta não é uma filial nova, mas as lojas online que oferecem produtos e serviços para cães e gatos se multiplicaram recentemente;

Infoprodutos: vivemos em realidade virtual, então cursos, livros, entre outras soluções digitais, estimulam o comércio eletrônico;

Cosméticos: quem não gosta de se cuidar, né? A novidade é que o público masculino também está mais interessado nos produtos desse setor.

Segundo dados do relatório Webshoppers, os segmentos que obtiveram os maiores volumes de pedidos foram: Cosméticos, Moda e Acessórios e Casa e Decoração, respectivamente 15%, 14,5% e 10,9% do mercado.


2. Siga as tendências de consumo

Então, quando você compara os números com os destaques deste ano, as tendências de consumo estão realmente em sintonia. Além de observar o que há no mercado, é fundamental:

Se diferenciar e buscar novas opções na sua área, inovar é se diferenciar e criar sua marca, o que você consegue oferecer de novo?

Pense na relevância do produto para o público - as pessoas pagariam por ele?

Determine se a manutenção de ativos é viável. Por exemplo: a comida exige entrega rápida e atenção especial para não estragar - você poderia cuidar e pagar por esses detalhes?

Identifique-se com o setor para que haja um equilíbrio entre fazer o que você ama e as habilidades e responsabilidades de um empreendedor.

No intuito de auxiliar a sua diferenciação no mercado, há diversos serviços para isso, como Ahrefs e SEMrush, mas o mais conhecido deles é o Google Trends, por ter maior alcance. Neles você pode descobrir quais tópicos estão em alta e se eles tem crescido depois de um dado tempo, uma ferramenta indispensável para o Marketing!


3. Regularize seu negócio

Uma vez definido o seu segmento de e-commerce, recomendamos que você formalize-o com a abertura de um CNPJ. É comum considerar que trabalhar sem legalização representa custos menores. Mas, na verdade, a renda recebida como pessoa física pode tributar até 27,5% de sua renda no imposto de renda.

Portanto, este é um procedimento importante para garantir que sua transação cumpra as obrigações legais, como a emissão de notas fiscais.

Existem várias opções de registro oferecidas pelo Serviço de Impostos Federais, que variam de acordo com as previsões de faturamento e a estrutura do negócio.

Além de dar confiança aos seus clientes, a abertura de um negócio formalizado oferece vantagens na negociação com fornecedores e acesso a linhas de crédito especiais para o empresário.

Como iniciar uma loja online: o guia completo para 2021

 Como iniciar uma loja online: o guia completo para 2021



Nos próximos dias, escreveremos artigos diários sobre como abrir uma loja virtual para o seu negócio. Para você artesão que deseja desfrutar ganhar lucro através da arte.


Aqui você encontrará:

1. introdução

2. Decida o seu nicho, o que e para quem você irá vender

2. Identifique o público-alvo de sua marca.

3. Encontre a plataforma ideal para abrir sua loja online.

4. Preste atenção à escolha do provedor.

5. Analise corretamente a concorrência e o preço

6. Descreva os produtos da sua loja online.

7. Personalize seu e-commerce

8. Configure os métodos de pagamento

9. Selecione os melhores métodos de envio

10. Oferecer suporte de qualidade

11. Promova sua marca com estratégias de marketing.


1. Introdução


Nos últimos anos, a Internet tornou-se o ambiente ideal para promover uma marca e conquistar o público-alvo. Diante disso, multiplas plataformas tem aparecido para a venda de produtos online, produtos digitais ou físicos. Alguns exemplos são o Mercado Livre, Submarino, Whatsapp, Facebook, Instagram, OLX.


Porém, para quem quer ter o próprio negócio com facilidade e apresentar a identidade da sua marca de forma mais robusta, montar uma loja virtual é a escolha certa. Afinal, é possível gerenciar produtos, pedidos, formas de pagamento e remessa, criar designs exclusivos e integrar todos os canais mencionados em um só lugar.

Como criar uma loja online

 Como criar uma loja online

Se você está pensando em uma forma mais profissional de vender seus produtos, pode criar sua própria loja virtual. Atualmente, os custos de criação e manutenção de uma loja simples são relativamente baixos. Porém, tenha em mente que se você quer algo realmente profissional, tem que investir muito dinheiro.





Vamos passar para as opções de baixo custo disponíveis para você construir sua loja online.


Host Uol

A Uol Host é uma provedora de serviços de Internet pertencente ao UOL, uma das maiores empresas do segmento no Brasil. Ao pagar uma taxa mensal fixa, você pode criar uma loja online completa, pronta para começar a vender. Eles têm uma coleção de designs prontos para você colocar sua loja com o rosto que você deseja.


Locaweb

Locaweb funciona da mesma forma que Uol Host; você se cadastra, paga uma mensalidade e pode colocar seus produtos à venda.


DotStore

DotStore é um sistema muito interessante para ter sua loja online. No entanto, é semelhante aos anteriores, com um custo mais elevado.


Iluria

Iluria é uma das plataformas mais acessíveis para os artesãos venderem seus produtos na Internet. O valor da manutenção é extremamente baixo, além de ser um ótimo sistema.


Além dessas opções, ainda há uma infinidade de sistemas de lojas online na Internet. Faça uma pesquisa no Google e veja mais opções até encontrar a certa para você.

Blog

Depois de estabelecer seus meios de vender seus produtos, você pode começar um blog para revelar mais detalhes sobre seu negócio. Você pode escrever, por exemplo, sobre como fazer artesanato, como as pessoas usam os produtos e informações gerais.


Um blog, para ter sucesso, deve ter conteúdo interessante para quem o acessa. Nunca crie um blog e apenas poste para que ninguém o visite. Inclua informações que possam fornecer uma visão ao leitor e, aproveitando essas informações, promova seus produtos.


Dicas importantes

Você deve entender que vender na Internet é um negócio extremamente sério. Portanto, antes de colocar um produto à venda, certifique-se de que ele será capaz de entregar a qualidade esperada e cumprir os prazos de entrega estabelecidos.


Outra dica importante é fazer um plano. Pense em seus objetivos e nos meios usados ​​para alcançá-los. É altamente recomendável fazer um plano de negócios para definir todos os detalhes. Acesse o site do Sebrae e veja mais informações.


E você, o que faz para vender seus artesanatos? Você conhece outro site de vendas que vale a pena estar aqui? Deixe um comentário e compartilhe essa informação conosco!



7 dicas para vender artesanato no e-commerce

7 dicas para vender artesanato no e-commerce





 O mercado digital é uma vitrine para o mundo e uma ótima maneira de aumentar as vendas e, portanto, os lucros da empresa. Com o e-commerce, você pode literalmente vender qualquer coisa.

O cliente deseja receber o produto em casa, sem precisar sair dele.

Neste conteúdo falaremos sobre a venda de artesanato pela Internet. Com o objetivo de ajudar cooperativas, associações e artesãos individuais a desenvolverem suas vendas e chegarem ao mercado nacional e internacional.

Vamos passar para as dicas.


1. Métodos de pagamento


No mercado online existem vários métodos de pagamento e envio. Cada empresa oferece as possibilidades ao cliente e ele toma a decisão. O processo é rápido e eficiente e não depende da localização geográfica ou fuso horário do comprador;


2. Escolha da embalagem


Escolha embalagens resistentes para o transporte de produtos. Afinal, é a maneira de colocar o produto completo e sem danos nas mãos do cliente. Quando se trata de artesanato, a proteção deve ser ainda mais rígida. E, dependendo do local da compra, a viagem pode ser longa.


3. Obtenha seguro

Contratar um seguro na hora do embarque não é apenas uma ótima decisão, mas também pode lhe poupar muitas dores de cabeça. E mais uma maneira de garantir que seu produto chegue da mesma maneira que foi enviado.


4. Invista em um site confiável

Garantir um site seguro, livre de vírus e outros riscos para o consumidor, com design atraente e informações para uma compra ágil, também é essencial para que ele não desista da compra.


5. Aprenda como exibir o produto.

Comprar artesanato na Internet é mais complicado, assim como o próprio produto. Porque muitas vezes o comprador não para de tocar na peça. Para superar essa necessidade de contato físico, faça do seu site uma verdadeira vitrine. Também abuse das dicas sobre cada produto e fotos de diferentes ângulos. Tudo isso para que o comprador não tenha dúvidas na hora de dar o "ok" para a compra.


6. Conclua a venda com sucesso

Não apenas uma compra, mas uma boa experiência de compra. É assim que também deve se posicionar diante do consumidor no mercado digital. Portanto, além da segurança e funcionalidade, tente garantir a eficiência do negócio digital. Não adianta fazer a venda e não poder realizá-la ou fazê-la de uma forma que não satisfaça o cliente.


7. Conheça a si mesmo

Existem inúmeras maneiras de ser notado online. São diversos cursos online com dicas de como se posicionar no mercado digital. Absorva e coloque todo esse conteúdo em prática - para mostrar que está aqui para permanecer no comércio eletrônico.


E, claro, não desanime: embora eu tenha que fazer o número e não seja a área preferida de compras de produtos artesanais - que realmente exigem mais contato físico - é inegável que são cada vez mais as compras de elenco na Internet. O cliente deseja receber o produto em casa, sem precisar sair dele.

Portanto, sugerimos que você melhore suas estratégias e, claro, seu produto a cada dia. Só porque você vende produtos online, não significa que terá que ficar sem a loja física. Por outro lado, participar de feiras e tours é sempre uma boa oportunidade para os clientes conhecerem de perto o seu produto.